Blog: Negócios

Plano de Negócios para E-commerce – O que é e por que fazer?
e-max.it, posizionamento sui motori

Muitas pessoas sonham em ter seu próprio negócio e encontram no e-commerce um ramo com muitas oportunidades de atuação.

Porém, muitas vezes a falta de planejamento faz com que o negócio não flua e a falência torna-se inevitável.

Para evitar que seu negócio seja D.O.A., sigla referente ao termo “Dead on Arrival”, é importante que você faça um plano de negócios para o seu futuro e-commerce.

D.O.A. é um termo atribuído para um projeto que possui baixa ou nenhuma chance de sucesso, algo muito comum quando não há o devido planejamento.

Segundo dados do IBGE, no Brasil a cada 10 empresas 6 encerram suas atividades em até 5 anos de existência.

Por mais que existam outros fatores que fazem com que uma empresa feche as portas, a falta de planejamento do negócio é com certeza um dos principais.

O que é o plano de negócios?

O plano de negócios é um documento elaborado pelos sócios de uma empresa, com o objetivo de definir questões administrativas, financeiras e estratégicas do novo negócio.

Durante muito tempo, a prática de criar um plano de negócios era comum apenas em grandes corporações, porém esse cenário mudou.

Em um mundo globalizado, a concorrência não respeita fronteiras e isso obriga os novos empresários a se prepararem melhor.

No caso do e-commerce essa concorrência é ainda mais aguda, visto que a base do negócio é o meio digital e a internet.

Vantagens de criar um plano de negócios para seu e-commerce

Aumentar as chances de sobrevivência e crescimento do e-commerce

Com a concorrência global, garantir que seu e-commerce tenha uma parte do bolo é essencial para sobreviver e crescer.

Existem diversos desafios para quem é lojista como manter um fluxo de caixa saudável, aumentar taxas de conversão e inovar de forma constante.

O plano de negócios é uma ótima ferramenta para garantir ao seu e-commerce um crescimento saudável.

Conhecer os pontos fortes e fracos, além de oportunidades e ameaças

Ao efetuar uma pesquisa de mercado, é comum que o empreendedor encontre pontos positivos e negativos no modelo que tem em mente, assim como oportunidades e ameaças.

Sabendo essas informações fica muito mais fácil estruturar uma estratégia para aumentar a força, aproveitar as oportunidades, compensar as fraquezas e evitar ameaças.

Certificar a viabilidade financeira do seu e-commerce

Comprovar que o seu negócio é rentável financeiramente é muito importante, ainda mais se você planeja captar recurso de investidores.

Além disso, comprovar que o seu negócio é viável fará com que você tenha mais segurança em suas ações.

Definir investimentos de modo mais assertivo

Toda empresa terá custos para iniciar e manter as atividades e para que não ocorram problemas financeiros é essencial definir a média dos gastos operacionais.

O lado positivo do e-commerce é que é possível começar de forma simples, sem a necessidade altos investimentos.

Garantir uma boa organização e excelência para a empresa

Empresas desorganizadas geram dores de cabeça para clientes, empresários, funcionários e demais stakeholders.

No caso de e-commerces, a organização é um fator muito importante para garantir agilidade e evitar erros na entrega do produto ao cliente.

A organização financeira também é essencial para um negócio, separando assim o que é custos de operação e lucro dos sócios.

Como criar um plano de negócios para o seu e-commerce?

Agora que você conhece as vantagens de fazer um plano de negócios, falaremos sobre como criar um bom plano.

É importante lembrar que um plano de negócios não é um documento rígido, ou seja, ele pode sofrer alterações ao longo do tempo.

Inclusive é muito comum que com o passar dos anos as empresas mudem um pouco de foco para se adequar aos novos tempos.

  1. Sumário executivo e resumo do plano
  2. Dados dos empresários
  3. Dados da empresa
  4. Análise de mercado
  5. Plano de marketing
  6. Plano operacional
  7. Plano financeiro
  8. Análise SWOT

1- Sumário executivo e resumo do plano

O sumário executivo é um resumo do plano de negócios com os principais pontos do documento como dados dos empresários, dados do negócio, missão da empresa, setores de atividades e enquadramento tributário.

Muitas pessoas exageram na quantidade de informações do sumário executivo, ou ainda escrevem uma justificativa ou introdução nessa parte, sendo que o local adequado para isso é no resumo do plano.

O resumo do plano é uma introdução ao negócio e pode conter informações sobre o negócio, principais produtos ou serviços, expectativa de faturamento mensal e endereço da empresa.

Diferente do sumário executivo, no resumo do plano o objetivo é falar sobre o seu negócio de um modo mais formal, introduzindo e justificando a viabilidade do empreendimento.

Lembre-se que tanto o sumário executivo e o resumo do plano merecem atenção, principalmente se você pretende captar recursos de investimento.

Apesar de serem os primeiros itens do plano de negócios, o sumário e o resumo devem ser escritos por último, visto que para escrevê-los é importante ter todas as informações do plano de negócios.

2- Dados dos empresários

No plano de negócios é importante constar os dados de todos os sócios como nome, RG, CPF, endereço, e-mail e telefone.

Além disso, é essencial escrever um minicurrículo de cada sócio com formação acadêmica, experiências de trabalho, de vida e também se ele possui ou já possuiu uma empresa.

Escolher bem os sócios do seu e-commerce é muito importante para evitar dores de cabeça, e tome um cuidado ainda maior com familiares e amigos.

É muito importante também ter bem definido quais serão as responsabilidades e atividades de cada sócio da empresa.

Nesse momento é importante se reunir com os sócios para discutir sobre habilidades, experiências e desejos de cada um em relação ao seu papel dentro da empresa, evitando decisões unilaterais.

3- Dados da empresa

Nessa parte do plano de negócios serão anotados todos os dados referentes a empresa enquanto organização, como nome, CNPJ, missão da empresa, setores de atividade e fonte de recursos.

A missão da empresa é o objetivo final da organização. Por exemplo, para um e-commerce a missão poderia ser “Comercializar produtos de qualidade via internet, oferecendo um ágil processo de logística a fim de oferecer uma ótima experiência ao cliente.

Nesse momento também deverá ser definido o setor de atividade do seu e-commerce. Os setores de atividades mais comuns são: agropecuária, indústria, comércio e prestação de serviços.

Os e-commerces naturalmente se encaixam na categoria comércio, porém é possível que ele também faça parte de outro setor, como no caso de e-commerces que fabricam seus próprios produtos.

A forma jurídica é a categoria em qual sua empresa se encaixa perante a lei. Existem diversas categorias como micro empreendedor individual (MEI), profissional autônomo, empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI) e sociedade limitada.

Outro ponto importante a ser definido é quanto e como a empresa pagará os impostos.

O simples nacional é uma opção que une todos os impostos em um único valor e simplifica bastante o pagamento de impostos, porém existem requisitos para ter direito a facilidade e algumas atividades são impedidas de aderir.

Também é essencial definir a fonte de recursos e o capital social para a abertura da empresa.

Um negócio pode ter várias fontes de recursos como investimento dos sócios, empréstimos, programas de aceleração e investidores.

Já o capital social é a relação da porcentagem de dinheiro investida por sócio, o que também pode refletir na divisão dos lucros.

4- Análise de mercado

Analisar o mercado é algo de extrema importância para que você potencialize seu negócio e economize mais recursos.

Definir e conhecer as características de seu público-alvo são essenciais para focar seus esforços em quem mais anseia por seus produtos.

Para isso, realize ou busque por pesquisas voltadas para a sua área, realize entrevistas com pessoas que se encaixam em seu público-alvo e crie personas para definir um norte.

A análise de concorrentes é vital para que seu e-commerce possa inovar em produtos, serviços, preços e ofertas.

Por isso faça uma análise dos concorrentes mais diretos de seu e-commerce para descobrir seus pontos fortes e fracos.

Outro fator muito importante é a análise e definição de fornecedores de produtos e matérias-primas.

Escolher bons fornecedores fará com que seus produtos tenham mais qualidade, melhor preço, além de agilizar os processos de sua empresa.

5- Plano de Marketing

O plano de marketing é o conjunto de estratégias para fazer com que seu produto ou serviço vendam bem e gerem lucro.

No plano de negócios de seu e-commerce é importante definir todos os produtos que serão vendidos ou, pelo menos, as categorias, visto que um e-commerce pode ter milhares de produtos.

Outro ponto a ser definido são os preços dos produtos, que no e-commerce é um dos principais fatores que levam as pessoas a comprarem.

Para definir bem os preços do seu e-commerce é importante analisar os concorrentes e todo o financeiro do seu negócio para não sair no prejuízo.

Além dos preços, definir as estratégias promocionais que serão trabalhadas também é importante.

Entre os formatos mais populares no e-commerce estão as oferta de frete grátis, cross-selling e retargeting.

Os canais de venda são muito importantes quando falamos de e-commerce e por isso é essencial pesquisar qual meio se adequa melhor as suas necessidades

Você pode vender através de uma plataforma de loja virtual, marketplace ou nas redes sociais, e também no meio físico, caso você tenha um ponto comercial.
Inclusive, ter um ponto físico para seu e-commerce possibilita a dinâmica omnichannel, onde o cliente pesquisa pelo produto em um canal e compra no outro.

Não esqueça de colocar o endereço da sua loja física, escritório ou depósito no plano de negócios também.

6- Plano operacional

Um bom plano operacional garante que seu e-commerce tenha um alto nível de produtividade e pró-atividade, evitando atrasos nas entregas.

O layout do ambiente de trabalho é um dos tópicos que devem ser estudados para uma melhor produtividade.

E-commerces podem ter mais de um ambiente de trabalho como depósito, escritório, loja física e em muitos casos a própria casa do empresário.

Outro ponto a ser analisado é a capacidade operacional de seu e-commerce. A parte positiva do e-commerce, é que a atividade é bastante automatizada, mas, ainda assim, o elemento humano é necessário.

Lembre-se que e-commerce não é somente sobre vender pela internet, mas também atendimento ao cliente, gestão de estoque, marketing, publicidade e envio dos produtos.

O processo de operação de seu e-commerce também deve constar no plano de negócios e eles podem variar bastante.

Por exemplo, uma loja dropshipping deixa a responsabilidade da entrega dos produtos com o próprio fornecedor.

A partir dos processos de operação você poderá analisar a necessidade de contratar mais funcionários para cumpri-lo de modo ágil.

Muitos lojistas centralizam todos os esforços em si mesmos, o que gera problemas de produtividade e até mesmo de saúde. Por isso, não hesite em contratar colaboradores para te ajudar.

7- Plano financeiro

A falta de um bom plano financeiro é uma das principais razões que fazem empresas encerrarem suas atividades, por isso inseri-lo no plano de negócios é importante.

O primeiro ponto a ser analisado no plano financeiro é a estimativa dos investimentos fixos, aqueles necessários para a abertura da empresa, como a compra de equipamentos, móveis, e no caso do e-commerce a criação de uma loja virtual própria.

Além dos investimentos fixos, existem os investimentos pré-operacionais, que serão necessários antes da abertura da empresa como reformas.

Outro fator financeiro que deve estar presente no plano de negócios é o capital de giro, que nada mais é que a quantidade de recursos necessária para que a sua empresa funcione, ou seja, custos com matérias-primas, fornecedores, eletricidade, hospedagem e internet.

Para calcular o capital de giro de forma correta é importante analisar diversos fatores como prazo médio de pagamento (tempo que o cliente leva pra te pagar), prazo médio de pagamento de fornecedores e quantidade mínima necessária de produtos em estoque.

Com esses três valores de investimentos bem definidos, basta somá-los para descobrir o valor total de investimento necessário para abrir o seu e-commerce.

Além dos investimentos para iniciar as atividades, também é essencial estimar o faturamento mensal, custo unitário de produtos e matérias-primas, custos de comercialização, custos com mão de obra e depreciação.

Para verificar e comprovar a viabilidade do negócio, é importante utilizar indicadores como rentabilidade, lucratividade, ponto de equilíbrio e prazo de retorno do investimento.

8- Análise SWOT

A análise SWOT é uma ferramenta utilizada para que o empreendedor defina as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de seu negócio.

Também conhecida como análise FOFA (força, oportunidades, fraquezas e ameaças) a análise SWOT funciona da seguinte forma:

plano de negocios para e commerce o que e e por que fazer img analise swot

As forças representam os pontos onde a empresa tem ótima proficiência. Por exemplo, um preço de venda abaixo da média pode ser considerado um ponto forte.

Já as fraquezas representam os pontos que a empresa precisa melhorar. Por exemplo, uma localização ruim pode ser considerado um ponto fraco.

As oportunidades são fatores que a empresa pode utilizar para crescer. Por exemplo, ser pioneiro em uma determinada área pode ser uma grande oportunidade de ser “top of mind” no futuro.

Já as ameaças são fatores que podem fazer com que as empresas fechem as portas. Por exemplo, uma crise econômica pode ser um sério perigo para novas empresas.

Conclusão

Planejar o seu e-commerce é muito importante para evitar prejuízos futuros e o plano de negócios é uma ótima ferramenta para auxiliar nessa atividade.

Ao concluir o documento, é importante que você o avalie e se necessário refazer algum ponto, refaça.

É possível que algum dos tópicos citados nesse post não façam sentido para o seu negócio. Se isso acontecer, fique tranquilo pois o plano de negócios é uma ferramenta flexível, que deve se adaptar as necessidades.

Com o plano de negócios criado, é interessante criar cenários fictícios de situações que podem se tornar reais, como em casos de prejuízo.

Aproveite também para baixar nosso e-book “6 passos para criar sua loja virtual” e descubra os principais fatores que devem ser analisados para que você tenha seu próprio e-commerce.

plano de negocios para e commerce o que e e por que fazer img ebook

Abaixo você confere nossa postagem como infográfico.

plano de negocios para e commerce o que e e por que fazer infografico

 

Gostou desse conteúdo? Ajude-nos compartilhando!


Posts Relacionados:


VR SYS Agência Digital - Todos Direitos Reservados © - 2019