Blog: Negócios

Como dar seus primeiros passos no E-commerce sem riscos de falir?
e-max.it, posizionamento sui motori

O estilo de vida empreendedor atrai muitas pessoas que querem ganhar mais dinheiro, ter seu próprio horário, trabalhar com o que gosta, e até mesmo em alguns casos melhorar o mundo.

E não é só o empreendedor que ganha! Dependendo do tamanho do negócio, pessoas serão empregadas o que é ótimo para a economia do país.

Como o E-commerce é uma área que tem crescido mesmo com a crise, muitos decidem por trabalhar com vendas na internet.

Porém, no Brasil os dados são alarmantes. Segundo o IBGE, de cada 10 empresas abertas no país, 6 fecham as portas em até 5 anos de existência.

O problema é que boa parte dessas empresas não possuem nenhum tipo de planejamento para saírem do papel.

Nesses casos não há inovação, não há proposta de valor, não há estudos de público-alvo, não há validação da ideia, não há investimentos em marketing, enfim muitos erros que são fatais.

Abrir um negócio não é um passeio na praia. Exige estudo, análise de pesquisas, opinião de terceiros, estar aberto à mudanças, fazer testes e, por fim, investir dinheiro.

O que é E-commerce?

Muitas pessoas acabam confundindo termos e por isso é importante que a definição de E-commerce fique bem clara.
E-commerce é qualquer atividade que configure comércio através da internet. Um conceito que compreende desde o usuário de rede social que vende lanches até a Amazon, o maior Marketplace do mundo.

Agora que você sabe da abrangência do termo, veja como gerar uma boa ideia de E-commerce:

Por onde começar?

Se você não tem nenhuma experiência com gestão de E-commerce, o ideal é começar vendendo seus produtos em um Marketplace, como Mercado Livre, ou nas Redes Sociais

Isso porque você não pagará pelos custos de desenvolvimento de uma Loja Virtual e também é uma ótima forma de testar o interesse das pessoas por um produto que você vende.

A desvantagem dos Marketplaces é que eles “mordem” uma porcentagem de toda venda efetuada, mas compensam em alto volume de visitantes.

Se você já possui uma Loja Física terá mais facilidade de gerenciar um E-commerce pela experiência que possui, mas isso não significa que tudo o que você aplica no real, terá o mesmo resultado que no digital.

Existe também a opção de vender pelas Redes Sociais o que também fica mais em conta do que uma Loja Virtual. Em compensação você terá que investir em anúncios pagos para que sua página alcance mais pessoas.

O que vender em seu E-commerce?

Essa é uma pergunta que alguns talvez já tenham definido, pois como disse no início do texto, muitos querem empreender em algo que gostem ou ainda tornar o mundo um lugar melhor através de sua Loja.

Mas se você ainda não definiu o que venderá, existem pesquisas que apontam quais são os itens mais vendidos no E-commerce brasileiro.

Dentro de um mercado existem diversos tipos produtos e por mais que você queira, será difícil vender todos eles de início

Vamos supor que você queira abrir uma loja de artigos nerds. Dentro do mundo nerd existe uma infinidade de filmes, animações, jogos e livros que por si só já são produtos e podem ser convertidos em outros.

Por isso, o ideal é escolher um nicho, como vestuário nerd, ou decoração nerd para atuar.

Modelo de Negócios – Business Model Canvas

O Business Model Canvas serve para você definir os principais aspectos do seu negócio e o que você precisa para iniciá-lo.

como dar seus primeiros passos no e commerce sem riscos de falir canvas exemplo

É de extrema importância que você preencha o Business Model Canvas baseado em pesquisas e fatos para reduzir os  riscos de gerar uma ideia que não funciona.

Veja agora o que significa cada área do business canvas:

Proposta de Valor

As propostas de valor nada mais são que as vantagens que seu cliente terá em comprar com você.

Existem diversas formas de gerar propostas de valor para seu cliente. Vender produtos originais e únicos, melhorar o desempenho de atividades do cliente, reduzir custos do cliente, reduzir os riscos do cliente, melhorar o status social do cliente, levar conveniência ao cliente, entre outros.

Segmentos de Clientes

Após definir as propostas de valor você definirá quem usufruirá deles, ou seja, os segmentos de clientes.

Uma pesquisa de Público-alvo e Personas pode ajudar nesse momento a definir um perfil de público de forma mais assertiva.

Alguns E-commerces tem isso mais explícito que outros. Uma loja de sapatos femininos terá clientes do público feminino, salvo exceções onde o homem compra um sapato de presente.

Defina pelo menos 3 segmentos de clientes antes de ir para os próximos dois tópicos.

Relações com o Cliente

Existem diversos momentos em que seu E-commerce terá que se relacionar com seu cliente, seja para agradecer o carinho de um cliente satisfeito ou resolver o problema de outro nem tão tanto.

Definir esses momentos é essencial para escolher em quais canais a sua empresa atuará.

Canais de Relacionamento

Alguns meios como e-mail, telefone e o próprio site da Loja são obrigatórios, pois são os meios pelos quais os problemas de clientes são resolvidos.

Para escolher as melhores Redes Sociais, é importante levar em conta quais são mais utilizadas pelos seus segmentos de clientes.

Um blog é uma ótima forma de se relacionar com seus clientes, levando conhecimento, notícias ou entretenimento para seu público.

Atividades-Chave

Cadastrar os produtos, gerenciar o estoque, postar nas redes sociais, entregar produtos (caso  você ou funcionário seja responsável pela entrega) podem ser considerados atividades-chaves da loja.

Se você optou por uma loja virtual, uma das atividades-chaves é o desenvolvimento e manutenção do site, o que demandará trabalho de profissionais especializados.

Recursos-Chave

Os recursos chaves são aqueles que você precisará para colocar seu E-commerce para funcionar.

Aqui entra desde o dinheiro que você guardou para abrir seu próprio negócio até a plataforma de E-commerce e a mão-de-obra necessária

Parceiros-Chaves

Aqui entram todas as pessoas e empresas que possuem parcerias comerciais ou não com a sua Loja.

Fornecedores de seu produto, a Rede Social a qual você compra anúncios, investidores/subsidiadores, a plataforma em que você vende, todas elas podem ser consideradas parceiros-chaves.

Estrutura de Custo

Esse é o momento onde você colocará as Atividades-Chave e Recursos-Chave na calculadora para chegar ao custo de implementação e manutenção do E-commerce.

A ideia é ter um custo aproximado do quanto você precisa para colocar seu negócio no ar.

Fontes de Renda

Um E-commerce tem como principal fonte de receita as vendas de produtos, mas existem outras formas de gerar renda como a Rede de Display do Google, na qual você permitirá que anúncios de outros sites sejam veiculados em sua Loja.

como dar seus primeiros passos no e commerce sem riscos de falir business canvas model

Validando o Business Model Canvas

Não basta apenas preencher o Canvas, mas é necessário validá-lo também. Mesmo que você tenha preenchido com base em pesquisas é importante mostrá-los para alguém que já tenha experiência no E-commerce.

É sempre bom lembrar que mesmo que você esteja sozinho a frente do seu E-commerce, sempre haverão pessoas que poderão agregar em seu negócio.

O Business Model Canvas é uma excelente solução visual para mostrar seu Modelo de Negócios de forma simplificada para investidores e especialistas.

Crie um Plano de Negócios

Um bom Business Canvas te dará mais segurança para partir para a próxima etapa que é o Plano de Negócios.

Suponhamos que você abra um negócio com 3 sócios e por infelicidade um deles venha falecer. Como se daria a sucessão de um novo sócio?

Esse é tipo de coisa que todos nós estamos sujeitos, por isso definir no papel é muito importante.

O Plano de Negócios é um documento bem mais completo que o Canvas, e abrange diversas questões executivas, Análise de Mercado, Estratégias de Marketing, Plano Financeiro e o Plano Operacional entram nesse documento.

O Sebrae produziu um E-book bastante completo sobre como construir um Plano de Negócios que você pode usar como guia para fazer o seu.
Ter um plano de Negócios bem fundado é essencial caso você queira subsídios de programas de fomentação ao empreendedorismo como o SebraeTec.

Conclusão

Muita gente acha que E-commerce é só fazer um site, colocar seus produtos e esperar pela enxurrada de clientes e por isso muitos vão à falência.

Vender pela internet é o tipo de negócio que exige empenho e estudo, por isso recomendo que você faça cursos, caso tenha condições.

Se mesmo com tudo isso seu E-commerce não ir pra frente, é importante ter em mente os motivos pelos quais deu errado, tanto os erros que foram cometidos, como os fatores externos que não dependem de você.

Vários empreendedores que hoje são referências tiveram negócios que não deram certo e mesmo assim não desanimaram, por isso não desanime também 😉

Se você tem interesse em ter a sua própria loja baixe nosso E-book gratuito “6 Passos para criar a sua Loja Virtual” e aprenda o que é preciso para tirar seu negócio do papel, ou acesse nosso blog para aprender mais sobre o mundo do E-commerce!

Abaixo você confere nossa postagem como infográfico.

como dar seus primeiros passos no e commerce sem riscos de falir infografico

Gostou desse conteúdo? Ajude-nos compartilhando!


Posts Relacionados:


VR SYS Agência Digital - Todos Direitos Reservados © - 2019